Barbatanas

Barbatanas

O uso de barbatanas está generalizado em todo o tipo de mergulho, seja ele livre, autónomo, recreativo ou técnico.

 

A barbatana funciona como uma extensão da perna que através da sua pala, permite uma maior propulsão dentro de água, minimizando desta forma o esforço exercido. Para além desta função, a sua utilização permite simultaneamente que a natação seja feita com as pernas utilizando os nossos fortes grupos musculares e não com as mãos e pés, cujos movimentos seriam subaproveitados e provocariam muito mais facilmente a exaustão. Desta forma o objectivo da utilização das barbatanas é o de aumentar a eficiência no deslocamento em ambiente líquido.

 

Existem diversos tipos de barbatanas, de diversos materiais. Os mais utilizados são a borracha, diversos tipos de termoplástico e fibras. Existem barbatanas feitas somente em borracha, borracha e termoplástico e ainda em borracha e fibra.

 

Existem dois tipos de barbatanas mais utilizadas nas actividades subaquáticas: barbatanas de pé aberto e barbatanas de pé fechado. As primeiras são as mais utilizadas no mergulho recreativo e técnico e as segundas no mergulho livre e autónomo e, ainda, na pesca submarina.

Componentes da barbatana:

As componentes básicas da barbatana de pé fechado são duas: pala e bolsa para o pé. No caso das barbatanas de pé aberto surge uma terceira característica, a precinta da barbatana.

 

A bolsa para o pé é geralmente feita em borracha. A pala pode ser feita em borracha, PVC ou fibra.

 

Até há bem pouco tempo atrás, a precinta da barbatana era fixa por fivelas de metal. Este método impossibilitava a libertação rápida da barbatana em caso de necessidade. Nos dias de hoje, quase todas as barbatanas possuem sistemas de libertação rápida da precinta e também de ajuste rápido.

 

Para além das precintas tradicionais em borracha, existem também as chamadas precintas técnicas (Spring Heels), que são mais utilizadas no mergulho técnico. Estas precintas têm a vantagem de não necessitarem de ajuste, uma vez que possuem uma mola que auto se adapta ao pé e serem, também, extremamente resistentes.

 

Outra característica da barbatana é o facto de possuir umas partes laterais na pala, denominadas de longarinas, cujo objectivo é o de fornecer mais estabilidade à barbatana, fazendo com que esta não estremeça na realização do movimento.

 

A barbatana pode ainda possuir na sua composição canais. Estes canais cumprem o objectivo de fazer com que a água deslize pela barbatana no sítio mais indicado para esse efeito, neste caso através destes mesmos canais. Desta forma, os canais captam a água e fazem com que esta escoe pelo sitio certo, minimizando o esforço e maximizando a propulsão da perna dentro de água.

Tipos de barbatanas:

Existem diferentes modelos de barbatanas com diferentes características

Barbatanas com canais abertos (Vent Fins):

Este tipo de barbatanas possui na sua composição canais abertos, por onde a água circula livremente. O objectivo é o de reduzir a resistência provocada pela água, e que provocaria um subaproveitamento da energia despendida.

Barbatanas com fenda (Split Fins):

Este modelo de barbatana é dos mais recentes no mercado. A sua pala possui a meio uma fenda no sentido vertical. Segundo os especialistas, esta fenda faz com que, consoante os movimentos da água, a pala abra pela fenda e produza um movimento semelhante ao das barbatanas dos peixes, fazendo com que a resistência ao movimento da água seja mínima, diminuindo desta forma o esforço físico da perna. No entanto, este género de barbatanas é mais eficiente quando utilizado por mergulhadores cujo movimentos das pernas seja feito para cima e para baixo, revelando-se pouco eficiente ou inadequado no caso dos mergulhadores que utilizam outros movimentos de pernas, nomeadamente o movimento chamado de frog kick.

Barbatanas com ângulo de 20º:

Este modelo possui a particularidade de a pala, quando o pé se encontra na horizontal, apresentar um ângulo de 20º. Ou seja, quando a barbatana é vista de perfil e a bolsa do pé se encontrar na horizontal, a pala não se encontra totalmente na horizontal, apresentando um ângulo de 20º. Esta característica é defendida pelos especialistas na medida em que, quando o mergulhador imprime força na barbatana para iniciar o movimento na água, se a pala possuir este ângulo, verifica-se uma minimização do esforço. Desta forma o mergulhador irá despender menos energia do que quando a pala da barbatana se encontrar totalmente na horizontal.